quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Comunicação e timidez: uma parceria possível?


* Antes de começar o texto, gostaria de agradecer a Laís Machado Rocha, aluna do 2º ano de Relações Públicas da UNESP Bauru pela sugestão deste pertinente tema.

Muitos manuais de profissões e guias do estudante espalhados pelo mundo atribuem aos futuros profissionais de Comunicação uma exigência: a extroversão, ou seja, a capacidade de se relacionar com as pessoas que estão ao redor sem titubear, de falar em público sem sentir vergonha ou medo de causar algum constrangimento.

Porém, nem todas as pessoas possuem esta característica e pensam até em desistir de concorrer a certas vagas no mercado de trabalho; mas seria o fato de se ter timidez um impedimento para pessoas que queiram seguir a área comunicacional?

Para se discutir isso, é necessário entender o que é timidez. Segundo o ICOH (Instituto de Comunicação Humana), a timidez pode ser definida como "inibição de comportamento e a ansiedade causadas pela presença de outra pessoa, principalmente uma pessoa nova, não-familiar. Esta inibição e ansiedade são provocadas porque o tímido avalia o outro como uma ameaça, um estímulo negativo à sua integridade física e psicológica." Ou seja, falar para uma ou muitas pessoas desconhecidas é, para algumas pessoas, um grande desafio e um tormento inestimável, como se fosse realmente uma ameaça.

E quanto a convivência, as conversas com outras pessoas desconhecidas são necessárias para o trabalho, como lidar com isso? É necessário controlar os sintomas desta timidez (suor frio, cabeça baixa, por exemplo) através da autopercepção. A fonoaudióloga Maria Bernadette Marques, no artigo Timidez e Empregabilidade, retoma esta saída:

"A autopercepção é muito importante, pois é a partir dela que partiremos em busca de solução para essa alteração emocional. (...) É preciso exercitar diariamente a prática da auto-superação e do autocontrole, pois só assim será possível vencer a timidez."

Um ramo que pode ajudar os tímidos a se relacionarem melhor é a área da Psicologia, mais especificamente o chamado dessensibilização sistemática, integrante do Behaviorismo, que consiste em tirar o medo através de um processo dividido em pequenos passos, numa "escala crescente da intensidade do estímulo (hierarquia de ansiedade)"**, até que se consiga expor o indivíduo ao estímulo condicionado do medo (no caso, a falar para públicos desconhecidos).

Portanto, não é empecilho para a comunicação se ter timidez, porém é necessário controla-la para que se tenha um maior desempenho no campo profissional. Para concluir, aqui está um vídeo da Revista Você S.A, trazendo dicas práticas para se vencer a timidez no trabalho, com a colaboração do especialista em comunicação Reinaldo Passadori.



** MOREIRA, M. B. & MEDEIROS, C. A. Princípios básicos da Análise do Comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2007, págs. 40-41.

3 comentários:

  1. Maíra!

    Adorei ver a sugestão resultar em um post! Muito obrigada!

    Como sempre você articula todas as idéias e consegue ponderar várias perspectivas. E se há uma ilustração perfeita para esse post é você! Cada vez mais enfrentando pequenos desafios e se destacando!

    Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Grande Laís!

    O que você não pede chorando que eu não te faça sorrindo... ainda mais sendo um presente de aniversário para ti!

    E eu é que ganho estas palavras de força de ti... mas é assim mesmo: os tímidos tem vez na comunicação, é só ter controle, paciência e calma!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Ótima Matéria!

    A equipe do Instituto Passadori agradece também a matéria do Reinaldo Passadori que foi concedida ao portal da Você S/A.

    informatica@passadori.com.br
    Denis Angles

    ResponderExcluir